Compartilhar

Curso de Oratória Com Media Treining Para Políticos Fonoaudiólogo e Professor de Oratória Simon Wajntraub

É muito comum as pessoas com vocação política ao iniciarem a carreira nesta esfera, apresentarem uma dificuldade enorme na comunicação oral e não darem a mínima para este fato. Alguns apresentam voz fina, voz rouca, fala acelerada, fala lenta, troca de letras, vícios de fala  (como o famoso “pobrema”), e até gagueira. O curso de oratória para políticos com media treining, prepara você em todas as dimensões para se tornar um grande orador.

No que concerne à oratória, podemos encontrar os tímidos constantes, inibidos temporários, prolixos, objetivos em excesso, descontrolados (só vivem exaltados) e os passivos (não conseguem reagir sob pressão).

>O início do Curso de Oratória com Media Treining para Políticos

Com a palavra o Fonoaudiólogo e Professor de Oratória Simon Wajntraub:

Quando iniciei a minha pesquisa em 1968, no campo da fonoaudiologia e oratória, eu tinha 18 anos de idade, mas atuava fortemente na locução, principalmente gravando comerciais, chamadas para rádio e campanhas políticas. Considero que uma das campanhas mais marcantes em minha carreira, foi a do candidato a governador do Rio de Janeiro Flexa Ribeiro (sucessor do fantástico Carlos Lacerda). Eu trabalhava na locução do diretório da Tijuca, os alto-falantes ficavam expostos na janela da casa, e eu tinha que repetir várias vezes: “Vote em Flexa Ribeiro para Governador”!!!

Fui convidado para assistir a um discurso desse candidato e achei que o governador Carlos Lacerda escolheu muito mal o seu sucessor. Flexa Ribeiro era um homem culto, mas pecava na sua comunicação oral. Ele era sem energia, não vibrava, a fala era lenta e até um pouco travada. O concorrente, por outro lado, era super bem preparado. Devido a essa preparação, simpatia e boa comunicação oral, o senhor Negrão de Lima acabou ganhando a eleição.

Na parte de media treining, tenho uma vasta experiencia no assunto. Participei de inúmeras entrevistas na mídia em geral e preparei todos os políticos citados nesse artigo. No link vídeos do site você poderá navegar através das entrevistas que concedi, e visualizar algumas que os meus pacientes ou alunos, após tratamento e treinamento participaram.

>Os políticos que realizaram o tratamento e o curso

No meu currículo de oratória política, existem vários nomes de expressão que passaram no meu curso ou foram tratados.

É uma pena que vários políticos que frequentam o meu curso ou tratamento exijam muito sigilo. O problema é que nenhum político gosta de concorrer com adversários preparados.

Abaixo citarei alguns políticos que me autorizam a comentar.

>O aluno e paciente Arthur Virgílio

O polêmico ex Senador e agora Prefeito de Manaus Arthur Virgílio, que marcou o seu embate para eliminar a famigerada CPMF. Ele é um ótimo provocador nas CPI’s, principalmente quando se juntava com o Senador Pedro Simon (RS).

Qual era a dificuldade na comunicação do Arthur Virgílio? No final da década de 70, ele recorreu ao meu sistema de trabalho com o objetivo de ficar mais desinibido, entender como se colocar perante a imprensa, destravar a sua oratória e melhorar a voz.

>O tratamento do Senador Edson Lobão

Outro político conhecido é o Senador Edson Lobão. Na sua última campanha política no Maranhão, após realizar uma cirurgia na laringe, estava completamente afônico e ficou sem potência na voz. Me desloquei ao Maranhão para tratar do senador.

>O aluno Arolde de Oliveira

Um político bem atuante, é o Deputado Federal do Rio de Janeiro Arolde de Oliveira. Ele frequentou o meu curso de oratória com o objetivo de ficar mais seguro nas suas apresentações em público e entrevistas.

>O aluno Índio da Costa

No Rio de Janeiro, um jovem, Índio da Costa, fazia parte da equipe do ex prefeito Cesar Maia. Ele era o prefeitinho de Copacabana e resolveu candidatar-se a vereador. Na primeira aula do curso de oratória, apanhou tanto da plateia (que é treinada para forçar a argumentar sob pressão) que no dia seguinte comentou que teve uma insônia de tanto estresse (a maior pressão é que a cidade estava toda em obras com o projeto “Rio Cidade”, e todos eram contra, só ele estava defendendo esta ideia do prefeito).

Confesso que sou o culpado pelo tom provocativo e pela excelente colocação da voz do deputado federal pelo Rio de Janeiro Índio da Costa.

Quando Índio da Costa iniciou a sua carreira politica na década de 1990, ele apresentava a voz fraca, fina, não sabia como se dirigir a imprensa e tinha uma inibição acentuada.

Hoje, ele sempre comenta que depois que frequentou as minhas aulas de impostação da voz, realizou media treining e participou do curso de oratória com argumentação sob pressão (porradaterapia), não tem mais barreira na sua comunicação oral.

Para vocês terem noção do que se passa no decorrer de uma aula de oratória e argumentação sob pressão, assistam um bate boca no youtube, buscando pelo meu nome. O título é “Aula de oratória e argumentação sob pressão, você aguenta isso?”. No link vídeos tem mais vídeos de casos de pacientes e programas de TV que participei.

>Outros casos

Luiz Carolos Renault, aluno e diretor de uma multinacional, convidou-me para o casamento da sua filha. Ficou encantado com a minha presença e passou a me apresentar a vários amigos da esfera política, empresarial e seus familiares. Ele ficou perplexo como todos já me conheciam há muito tempo. Um dos ilustres amigos de juventude é o Dr. Marco Aurélio Mello, do STF.  Espantosamente o Dr. Marco Aurélio Mello intercedeu a conversa e comentou: “Até hoje treino com o seu material de dicção, impostação e oratória.”

Vou lembrar uma ocasião; O impeachment do Collor. Nessa ocasião, fui convidado a fazer a locução defendendo o Collor. Esta gravação foi enviada para várias rádios do País, eu até fiquei meio chocado porque na gravação constava nomes de políticos renomados.

Na época, um defensor ferrenho do Collor era o Deputado Roberto Jefferson. Ele me ligou, e elogiou muito o meu trabalho na locução. Quando atuou na CPI do Mensalão, a sua oratória serviu de exemplo para os alunos. Eles procuravam o meu curso e davam como exemplo a maneira que o Roberto Jefferson projetava a sua oratória.

Quando fui convidado para realizar o curso de oratória no Maranhão, fiquei impressionado com a quantidade de políticos que ficaram interessados, se deslocando de vários municípios do Estado. Lembro de um Prefeito que tinha a voz fina, mas quando engrossei a sua voz, ele ficou com medo porque era conhecido como o prefeito da voz fina. Será que ele não seria mais reconhecido com a nova voz? Dei uma sugestão de marketing: “coloca o ‘ão’, e agora é o Paulão da voz grossa”.

Na filial de Brasília, vários políticos passaram pelo meu curso. Um em especial foi o Deputado Federal Carlos Costa. É um médico de Minas Gerais, ele me deu um grande apoio no inicio das minhas atividades na capital do Brasil.

Outro muito conhecido em Minas era o Senador Murilo Badaró. O senador, era um grande conhecedor de óperas e cantava como hobby.

Tenho um projeto: Todas as Câmaras e Senado no Brasil, deveriam implantar um treinamento contínuo na comunicação oral dos políticos.

No meu arquivo constam mais de cem mil pessoas que realizaram o curso. No âmbito da política, recebo todo tipo de patente (senadores, deputados, ministros, vereadores, prefeitos, governadores, etc) de vários estados do Brasil.

>Atendimentos personalizados e sigilosos

Caso você precise de um atendimento mais personalizado para o seu problema, marque uma consulta (online ou presencial) que estudo o seu caso (unidades no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília).

>Como funciona o Curso de Oratória com Media Treining para Políticos

Em primeiro lugar, marco uma consulta (online ou presencial) para avaliação, vinculada a esta consulta, o futuro aluno ou paciente é convidado a participar de uma aula de oratória (online ou presencial) em grupo para aquilatar as suas dificuldades na apresentação em público. Toda a consulta é gravada em vídeo para uma autoavaliação (caso o seu problema seja muito sigiloso, você poderá optar por não participar das aulas em grupo).

Tem uma brincadeira muito comum nessa primeira aula de oratória (online ou presencial) de avaliação. Os alunos veteranos fazem a famosa pergunta: “Já pagou? Pode dar porrada?” A maioria responde que não, pois não querem sofrer muita pressão no primeiro dia (caso o seu problema seja muito sigiloso, você poderá optar por não participar das aulas em grupo).

Dizem que eu represento o “antimarketing”. Alguns alunos sugerem, que eu deveria aliviar a pressão nos primeiros dias para depois mostrar as garras. Lógico que eu não concordo com isso, sou muito transparente. Se uma pessoa apresentar uma fobia social severa, (como uma aluna que levou seis meses para subir no palco) eu atuo com uma pressão mais progressiva.

Depois do aluno realizar a primeira consulta (online ou presencial) e uma aula de oratória (online ou presencial) com argumentação sob pressão, é estipulado o número médio de aulas e consultas.

No início do curso, é enfatizado a voz e a fala. A próxima etapa é a oratória com media treining.

Na oratória oriento como o político se porta para falar em público. O principal é não perder o foco do assunto, mesmo que passe por situações constrangedoras. Treinamos muito media training, pois para ser um político é fundamental saber falar com a mídia.

O media training é uma das partes fundamentais da oratória política. Imagina uma coletiva de imprensa com um púlpito quebra queixo cheio de microfones e aquelas câmeras apontadas para você. Como responder a todos? Em que microfone falar? O que falar?

Outras situações que treinamos no media training, é como se portar em programas de televisão, mídias sociais, apresentações de projetos para imprensa, inaugurações, painéis, fóruns, uso do teleprompter, microfones e muito mais.

A correção dos problemas da voz e da fala é realizada no curto prazo. O meu método é bem objetivo e não trabalho com quinquilharias inúteis como rolhas, lápis, etc.

Nas aulas de oratória para os políticos, treinamos muito discursos, debates, reportagens, falar de improviso e argumentar sob pressão.

Toda a participação do aluno é filmada para uma autoavaliação.

Se você for muito prolixo nos dias de hoje, acabará sendo convidado a se retirar do palco ou verá algum participante de seus discursos dormindo na plateia.

Se você é objetivo em excesso, dez pessoas perguntam ao mesmo tempo forçando o alongamento das suas respostas.

Caso você tenha dificuldade em improvisar, são colocados temas que você não domina, forçando-o a ser criativo e desenvolver o improviso.

Os discursos são treinados com uma técnica bem mais atualizada da comunicação verbal e não-verbal. Não adianta ficar berrando e blefando com a plateia.

Na argumentação sob pressão, os veteranos provocam o tempo todo, forçando a pessoa a se exaltar. O objetivo é você conseguir manter o controle da situação sob pressão (caso o seu problema seja muito sigiloso, você poderá optar por não participar das aulas em grupo).

Tem políticos que preferem adquirir somente o material audiovisual. Esse material audiovisual é composto por um livro, sete horas de áudio e um vídeo. O material contém muitos exercícios práticos para melhorar a voz, a fala e a oratória.

Para finalizar, um conselho:

Caso decida entrar na vida política, faça diferença!

Invista em você!

Boas Falas!!!

Cursos e tratamentos online ou presenciais para todo o Brasil e Exterior.


Unidades e Contatos:

WhatsApp (21) 97273-2041

Rio de Janeiro – RJ:

Copacabana e Barra

(21) 2236-5223

São Paulo – SP: Jardins

(11) 4063-6460  / 4063-4735

Brasília – DF: SHN

(61) 4063-6352  / 4063-6392

E-mail: simon@boasfalas.com.br


Para informações, nos envie uma mensagem de contato.

Não se esqueça de detalhar quais são as suas dificuldades de comunicação: voz, fala, timidez, etc..

Nome*

E-mail*

( DDD ) + Telefone*

Cidade*

UF*

Assunto

Descreva as suas dificuldades

Clique em enviar e aguarde o nosso contato