Oratória e argumentação sob pressão para professor sem voz encostado por invalidez

professores-afonicos-encostados-invalidez

Atenção: Professores afônicos encostados por invalidez!

Quando iniciei a minha pesquisa, em 1968, procurei utilizar os recursos mais atuais da Eletrônica para facilitar a emissão da voz. Entretanto afirmo: mesmo com todas as técnicas de impostação, um professor – por exemplo – que trabalha em vários lugares para sobreviver, e durante o dia todo, jamais conseguiria fazer com que suas cordas vocais suportassem tamanho esforço.

O ideal seria a utilização de caixas de som com amplificador e um microfone, se possível sem fio, com o objetivo de o professor se deslocar melhor na sala de aula. Esse sistema pouparia prejuízos como o de mestres que estão fora das salas por apresentarem problemas de afonia (inclusive os milhares que são considerados inválidos) ou recebendo aposentadoria já no início da carreira, e o de outros grandes mestres que, devido a uma rouquidão crônica ou problemas sérios nas cordas vocais , são obrigados a abandonar a profissão que amam, mesmo sendo adorados pelos alunos.

Atenção, Escolas Federais, Municipais e Estaduais!

Sai bem mais em conta implantar esse sistema de som do que custear uma invalidez vocal, para professor sem voz. Algumas escolas e cursos particulares estão adotando a sonorização das salas de aula. Já está na hora de o Município o Estado e a União perceberem que o caminho é este.

Que tal os vereadores, deputados federais e estaduais criarem uma lei que torne obrigatória a sonorização em auditórios e salas de aula?

Além do sistema que estou citando, onde o profissional economizaria sua voz com a utilização do microfone, é fundamental a realização do curso de Impostação porque é muito desagradável lidarmos com vozes esganiçadas nas mulheres ou fracas, estridentes e, às vezes, até finas nos homens. Existem professores que, por apresentarem problemas de dicção, podem dificultar a compreensão daquilo que estão ensinando ou mesmo transmitir a deficiência para os alunos, principalmente para as crianças.

Um exercício fundamental no treino da voz rouca é colocar o paciente sob pressão para educar sua voz em situações onde exista uma forte carga emocional. Digo isso porque as pessoas que apresentam voz rouca são, em geral, muito sensíveis, portanto costumo colocá-las numa verdadeira sessão de “porradaterapia” para que elas aprendam a colocar a voz sob extrema tensão e emoção.

Uma dica que gosto de dar sempre é no sentido de a pessoa evitar gastar a voz à toa em situações tensas. Em outras palavras, não se deve ficar dando esporro gratuitamente e procurar controlar-se ao máximo – e esse conselho vai principalmente para aqueles que usam a voz como instrumento de trabalho. Outra coisa igualmente importante é evitar “berrar” ao telefone, pois a voz ficará sobrecarregada e sofrerá com isso.

Se o seu problema não for orgânico, procure modular a voz numa escala musical e verifique qual o tom no qual a emissão fica mais clara.