Jô entrevista o polêmico fonoaudiólogo e professor de oratória Simon Wajntraub

No dia 17 de abril de 2001, fui convidado para apresentar o meu sistema de trabalho no Programa do Jô Soares, apresentei três casos de voz fina durante o programa e convidei pessoas da platéia para que eu implantasse o método, corrigindo alguma deficiência da voz ou da fala.

Casos apresentados no programa

Escolhi o Fabinho, que pertencia a produção do programa, pois o mesmo apresentava uma voz infantil, muito fina. Através de exercícios vocais alterei o seu tom vocal, buscando os graves e médios. Ao vivo, levei um paciente, o Marcio Araújo, cujo pai foi professor de trompete do Jô Soares, o mesmo apresentava uma gagueira acentuada quatro meses anterior ao programa. E na sua apresentação durante a gravação do Jô, Marcio estava falando normalmente.

Outro caso foi do Felipe que era extremamente gago, em três meses ocorreu um progresso assustador e o último a ser apresentado foi um Promotor de Justiça que na época do concurso possuía uma voz muito fina, chegando ao ponto das pessoas confundirem no telefone com o sexo oposto, chamando-o constantemente de senhora. O Jô, para tornar o programa mais light, inseriu o David Brasil que não quer ficar bom da gagueira por que ele se promove com este personagem que é real.

Apresentação da família

Um fato interessante é que eu levei a esposa e os sete filhos e, no início do programa, o Jô estava com um papel na mão onde havia um comentário sobre uma apresentação do Sexteto, ai ele pede para o meu filho mais velho segurar o papel e guardar de lembrança, porque ele não tinha aonde jogar fora, mas ao mesmo tempo seria bom para ele comentar que esteve no programa do Jô, neste momento, interferi comentando que na platéia, estavam os sete filhos e a esposa, e esse era o filho mais velho.

O Jô, como um bom gozador, indagou se os sete filhos eram gagos, após este momento, ele convidou-me para sentar ao seu lado.

A polêmica entrevista

A entrevista durou cerca de 45 minutos. Para variar contestei os métodos tradicionais da fonoaudiologia que insistem em utilizar rolhas, chupetas, língua-de-sogra, etc. Inclusive incentivei o Marcio Araújo a comentar as tentativas frustrantes e ele só teve coragem de falar durante o programa, sobre as rolhas, bolas ou bexigas que utilizava sem resultados práticos, porque tem um fato pitoresco que o Marcio frequentava uma clínica que era ligada a Faculdade Federal de Fonoaudiologia, onde ele dançava com as fonoaudiólogas para curar a gagueira.

O programa do Jô teve uma repercussão tanto no Brasil como no exterior, que além de reabrir a filial de São Paulo, contratei uma empresa para formatar uma franquia do meu método.

Após trinta dias da minha apresentação no programa do Jô, a produção do mesmo recebeu uma enxurrada de fax e e-mails de fonoaudiólogos pedindo um direito de resposta por eu ter acusado a classe de utilizar estes recursos ultrapassados.

Assista o vexame da fonoaudióloga Mara Belau, representando o conselho de fonoaudiologia de SP inserindo rolha, chupeta e lingua de sogra na boca do apresentador Jô Soares.