Pedofilia causa gagueira e timidez

pedofilia-causa-gagueira

Você sabia que a pedofilia causa gagueira e Timidez?

Estou estarrecido com vários pacientes que recorrem ao meu método para curar a gagueira e a timidez. Na primeira consulta quando tento pesquisar as causas que poderiam estimular o aparecimento do problema, me deparo com adolescentes e até adultos que foram abusados sexualmente na infância por parentes próximos, empregados e até vizinhos onde guardam uma mágoa e um trauma enorme.

Vocês deve se perguntar: Qual a solução para proteger uma criança de um vândalo desses que abusam sexualmente destes menores indefesos, que deixam marcas profundas, com traumas carregados por uma vida inteira, afetando até suas vidas amorosas e relacionamentos sexuais?

A minha resposta é muito simples, não crie uma ilha da fantasia na sua casa, enganando seus filhos com uma superproteção, e com uma censura constante, recriminando a tudo e a todos.

Elimine esta censura em que o dialogo se torna impossível, porque você não dá chance de uma abertura psicológica, onde o seu filho pode perguntar sobre qualquer assunto sem recriminação. Crie um ambiente onde temas como sexualidade são abordados naturalmente, porque a informação fora da sua casa é dinâmica, rápida e invasiva através dos meios de comunicação, internet e amigos.

Quando o seu filho comentar que tem algum adulto tentando seduzi-lo, com presentes, dinheiro ou falsa amizade, oriente-o rápido mostrando o risco que ele está correndo de ser abusado sexualmente por estas pessoas doentes e que querem se vingar da humanidade, repetindo os mesmos traumas que eles passaram na infância, quando foram abusados sexualmente.

Haja com calma, sem violência e passando muita orientação. Não esqueça nunca, que a repressão é a companheira do silêncio, e o seu filho com medo da sua atitude autoritária pode sofrer calado e muito amargurado. Principalmente porque ao se abrirem com os familiares mais próximos, como o pai, mãe, irmãos, todos ficaram inertes, não tomam atitudes, e chega achar normal uma pessoa ser abusada sexualmente por um pedófilo, faz parte da vida.

A loucura é tanta, que estes babacas comentam que também já passaram por isso e que o fato não afetou suas vidas em nada.

Recentemente dois rapazes com a idade em torno de 23 anos, comentaram que foram abusados sexualmente na infância e que então se iniciou o processo da gagueira.

O primeiro comentou que tinha uma namorada, mas em alguns momentos chegou a ficar confuso sobre sua sexualidade, já que em seu subconsciente aquele trauma o perseguia. Também lembrou que o abuso ocorreu aos 6 anos de idade, e foi a partir deste momento que ele ficou gago.

Já o outro comentou que um vizinho abusava dele sexualmente e o seu pai descobriu e deu queixa na policia e este vizinho acabou sendo processado e preso, só que deste trauma adveio a gagueira.

Já fui procurado por duas pacientes gagas. A primeira paciente tinha um pai que abusava sexualmente na hora que a colocava para dormir, com carícias na parte genital, de seus 11 anos até os 13 anos de idade. Ela ficava tão apavorada que fingia que estava dormindo.

Já a segunda paciente foi abusada por um tio que era ginecologista aos 9 anos de idade na garagem da casa de sua mãe. Ela relatou que ele deu um toque na sua vagina e também da própria filha dele. Minha paciente carregou este trauma até os 40 anos de idade, e o que incomodou muito foi quando ela resolveu contar para sua mãe que por sua vez, não deu o mínimo apoio.

O incrível é que o tempo se passou e ela morava em San Diego nos Estados Unidos e possuía três filhos onde o mais velho já estava 16 anos. Ela estava tão traumatizada com o trauma de infância que prendia os três filhos em casa. Depois que realizou o tratamento da sua gagueira e da timidez no meu curso, (onde acontece uma catarse através da convivência com outros pacientes que também foram abusados sexualmente em períodos enormes e que não carregaram mais o trauma em suas vidas), ela mudou de atitude e resolveu enfrentar a vida com mais liberdade. Um paciente que apresentava gagueira severa incentivou muito a mudança de atitude dela. No curso ele comentou que foi abusado pelo motorista do pai dos 6 aos 10 anos, mas já havia se libertado deste trauma com tratamento psicanalítico, casou e teve filhos. Também expos que o que mais o incomodou foi quando comentou com o pai sobre esta situação, que retrucou que é normal acontecer estes fatos em todas as famílias e nem deu bola para o fato.

Também tive outro paciente que apresentava trejeitos com o corpo e a voz bem feminina, mas era heterossexual e já casado. Ele foi abusado sexualmente por um tio (irmão da mãe) aos 7 anos de idade e também por um vizinho e ainda sim permaneceu calado para não criar uma “matança” na família.

Impressionante como uma criança tem discernimento para não prejudicar terceiros que causaram um trauma enorme em sua vida.

Neste ultimo exemplo relatado, com o tratamento completo abrangendo a correção da sua voz fina e com a frequência nas aulas de oratória e argumentação sob pressão, ele tornou-se um ser firme, seguro e com uma voz masculina normal.

Uma modelo de 18 anos do interior do Rio Grande do Sul que apresentava voz fina e era muito tímida, frequenta o meu curso e carrega um trauma enorme onde um dentista abusou dela sexualmente aos 7 anos de idade. Só agora ela teve coragem e contou para os familiares, mas também falou que não estava interessada em vingança, portanto pediu para não tomarem satisfação porque já havia se passado muito tempo. Mais uma que protegeu o pedófilo com medo da reação violenta da família. Quando ela ouviu a história da uma outra paciente que foi abusada pelo próprio pai na hora de dormir, e percebeu que a mesma não chorava quando contava o drama vivido, também parou de ficar tão sensível e não se emocionar como fazia antes do tratamento.

O mais importante do sistema que desenvolvi para corrigir os problemas da voz e da fala foi treinar a comunicação oral na emoção, com as aulas de oratória e argumentação sob pressão. Não adianta ficar com o paciente no consultório sozinho, em que na ocasião ele se comporta muito bem, mas quando enfrenta o dia a dia, entra em pânico e a dificuldade se aflora.

É uma terapia comportamental, de tanto enfrentar situações adversas a pessoa acaba criando uma resistência e ocorre uma mudança total na sua vida abrangendo a voz, a fala e a timidez, além de debater temas emocionais, desabafando com os colegas do curso, trocando experiências emocionas, tornando-as bem mais light, aceitando bem melhor as adversidades da vida.

Em alguns vídeos interessantes no site demonstro o que é uma aula de oratória sob pressão, no programa do history channel, no link argumentação sob pressão apresento um bate boca que ocorreu numa aula da Barra e no programa sobre timidez na GNT que participei.

É muito comum as pessoas perguntarem, Simon, isso é tratamento de Fonoaudiologia, de Oratória ou é uma terapia de grupo? Eu respondo, é uma revolução na sua vida, caso você esteja interessado em mudar para melhor…