Voz denuncia personalidade e deve ser bem cuidada

imprensa-revista-epoca

 

LUCIANA SOBRAL e RACHEL CARDOSO

Fonte: Revista época
Ciência & Tecnologia: 7/2/2003

Não é à toa que o detector de mentiras, aparelho usado em alguns países como os Estados Unidos, usa a voz como marcador para descobrir se a pessoa está mesmo falando a verdade. Chamada pelos especialistas de espelho da alma, a voz é capaz de entregar a idade, o sexo, a procedência geográfica e, principalmente, o estado emocional de qualquer indivíduo. Sem ela, cerca de 40% dos brasileiros não teriam como trabalhar.

‘Embora quase metade da população use a voz profissionalmente, são poucas as pessoas que realmente se preocupam com ela’, afirma o presidente da Sociedade Brasileira de Laringologia e Voz (SBLV), José Antônio Pinto. ‘Muitos nem percebem que se trata de um elemento imprescindível para a sobrevivência na sociedade’, acrescenta.

Quem costuma dar atenção para a voz, como a apresentadora da Rede Globo, Fátima Bernardes, e a cantora e atriz, Selma Reis, sabe muito bem que todo cuidado é pouco para manter a garganta em forma. ‘Cuidar da voz é como cuidar da pele e do cabelo’, diz Fátima, que se previne da rouquidão e dos incômodos pigarros com água fresca e exercícios específicos para as cordas vocais.

Segundo os especialistas, o problema de voz mais comum entre os brasileiros é a rouquidão, causada principalmente pelo uso excessivo e inadequado da fala e pelo consumo de cigarro e álcool. ‘Os profissionais da voz, como professores, cantores, operadores de telemarketing e vendedores, muitas vezes, não estão preparados para usá-la corretamente’, comenta Sandra de Oliveira, membro do Conselho Regional de Fonoaudiologia de São Paulo.

Por esse motivo, a fonoaudióloga defende o treinamento constante de todos os profissionais da voz. ‘Com um preparo adequado, que inclui técnicas de respiração para não tensionar as cordas vocais, é possível evitar problemas como os nódulos que causam rouquidão crônica e podem tirar a pessoa do trabalho’, explica Sandra.

Para a cantora Selma Reis, o melhor remédio para quando ela está rouca por falar ou cantar demais é repouso. ‘Sigo à risca todas as orientações dos especialistas para não agredir a mucosa da garganta, como não fumar e não beber’, conta.

Foi com a ajuda de uma fonoaudióloga que Selma conseguiu colocar sua voz ‘no foco certo’, ou seja, aperfeiçoá-la. Segundo os especialistas, todos podem ter a voz melhorada, desde que se respeite os limites anatômicos. ‘Para isso, existem várias técnicas de respiração, entonação e ritmo capazes de fazer com que a pessoa se comunique melhor’, diz Sandra.

Para o fonoaudiólogo Simon Wajntraub, a voz denuncia o estado emocional das pessoas e a própria educação. ‘Basta perceber que os tímidos costumam falar baixo e os mimados têm a voz aguda demais, mesmo sendo adultos’, comenta.

Sandra lembra que as pessoas que falam muito rápido geralmente são agitadas. As roucas, muitas vezes, ficaram assim por causa do estresse. ‘Algumas alterações de voz estão relacionadas a problemas emocionais, mas antes de determinar o quadro, solicitamos exames anatômicos das cordas vocais’, conclui.