A Mãe do Gago

mae-do-gago

Na minha pesquisa encontro alguns pacientes que vivem num ambiente familiar de muita cobrança e muita pressão. Eu até chego a criar um personagem corriqueiro que é “a mãe do gago”, ela tem uma característica repetitiva: desde a infância ela é muito exigente e perfeccionista, sufocando a criatividade do filho. Além de gagos, eles ficam muito inseguros em tudo. A maioria também é tímido, pois ficam tão dependentes da direção da mãe, que vários estão com mais de trinta anos e não conseguem se libertar. Quando tentam dar um vôo solo, saindo de casa por exemplo, às vezes até casando, a tendência é voltar para casa dos pais, porque a pilha está fraca e a gestora da marionete quer continuar manipulando estes seres.

Na aula de oratória em grupo, onde os objetivos principais são: perder a inibição, argumentar sob pressão e fixar a técnica para não gaguejar na emoção; esses pacientes apresentam uma sensibilidade incrível quando são pressionados principalmente no tema independência emocional e até profissional, eles adoram ser comandados por chefes bem autoritários, como as suas mães.

Eu negocio bastante durante as aulas a mudança de paradigma que eles terão que sofrer. Se eles estão realizando um tratamento neste nível é porque eles estão a fim de mudar.

Reconheço que no início o sofrimento é grande, mas a recompensa é enorme, pois além dele deixar de ser gago, vai ser um indivíduo mais independente e criativo. É corriqueiro as mães ficarem revoltadas com o meu método, pois chego a fazer uma catarse na personalidade dos seus filhos. Eles já não aceitam mais as ordens exageradas, agora discutem e só acatam os que valem a pena, tanto dos pais como do chefe, o resultado é uma ascensão profissional bem mais acelerada e um ser social mais seguro. Vários pacientes após o meu curso se tornaram grandes empreendedores.

Com relação às mães, com o tempo reconhecem que os meu sistema de terapia e de curso estava certo, porque os que prosseguiram com essa dependência emocional, acabaram na obscuridade e com uma depressão enorme.

Encontrei na minha pesquisa algumas mães que já fazem parte das histórias cômicas, sendo a mais famosa a IDISHEMAME (a mãe judia); existe também a mãe portuguesa, a espanhola, a mama italiana e a mãe árabe. Todas devido ao um excesso de zelo sufocam os filhos.

Atualmente além das minhas duas filhas a Laila e a Elka que são fonoaudiólogas também, eu possuo um batalhão de ex-gagos e ex-tímidos que não deixam os novos pacientes ficarem acomodados com os seus problemas na comunicação oral. A cobrança para fixar a técnica é constante. Até pelo MSN e Skipe estou realizando consultas com vários pacientes em várias localidades do mundo, como Japão, Inglaterra, Estados Unidos; e várias cidades do Brasil, Argentina, etc. A pessoa adquire o material por correspondência e faz o tratamento diretamente comigo através de som e imagem no MSN e Skipe. Caso não tenha computador, pode ser realizado através do telefone.