Simon: o fonoaudiólogo atrevido que fica querendo jogar a responsabilidade para os pais.

Está bem, eu, Simon, vou me apresentar contando a minha experiência com educação de crianças. Abaixo, a foto dos sete filhos que possuo do mesmo casamento com a Angela.

Simon Wajntraub e Angela tiveram 7 filhos. Todos possuem uma perfeita dicção e são profissionais exemplares em suas carreiras.

Em oito anos, tivemos sete filhos, e agora possuo essa neta que vocês estão vendo falar grosso neste vídeo, que hoje está com um ano e meio e já possui um vocabulário amplo, porque, como os seus pais são muito ocupados, a mãe é dentista e o pai empresário, a solução foi colocar numa creche com 6 meses de idade em vez de ficar com os avós e tios que mimam muito e não estimulam a fala da criança.

Os meus quatro filhos homens adoravam ganhar dinheiro, mas tinham uma dificuldade enorme em se concentrarem nos estudos: a solução prática foi colocar todos para trabalhar bem cedo e assumirem responsabilidades. Por exemplo, quando eles tinham nove anos de idade, eu e a minha esposa apresentávamos uma lista de compras para os meninos trazerem do supermercado. Quando eles completaram 12 anos, trabalhavam filmando os casos dos pacientes e realizavam uma cópia em vídeo para os mesmos fazerem uma auto avaliação do progresso na terapia. Quando um atingia essa idade e assumia o posto, ganhava dinheiro por esse serviço: os quatro trabalham hoje com eventos e festas.

Lembro da minha filha caçula com 9 anos carregando um bolo de cartas que eu enviava para os pacientes, pois na época não existia internet. Recebia criticas de várias pessoas, comentando que eu estava arriscando muito. Quando as minhas filhas alcançaram a puberdade, elas compareciam nas festas de colegas do colégio e nós dávamos a responsabilidade a elas de voltarem sozinhas de táxi ou de carona com os pais de suas colegas, mais uma vez a critica era enorme.

Os meu filhos homens já com 18 anos tinham independência financeira, eu não ajudei em nada, não fiz igual aos pais que já dão um carrão para o filho e uma mesada enorme.

Uma coisa muito importante na educação dos sete, é que eu e aminha esposa sempre fomos firmes, nada de paparico, a minha filha caçula novinha foi trabalhar numa loja de roupas e em pouco tempo chegou a gerente; duas filhas são fonoaudiólogas e a caçula psicóloga de recursos humanos.

Todos devem estar pensando “com o papai famoso, fica fácil para as filhas seguirem a carreira na fonoaudiologia”. Que nada! Elas ralam muito, uma assumiu a filial de Brasília comigo e outra a de Campinas e São Paulo, além de dirigirem a matriz no Rio de Janeiro, que possui duas filiais, Copacabana e Barra da Tijuca.

Os quatro meninos comentam que sem querer eu acertei na mosca, eles foram ler o livro pai rico e filho pobre e ficaram perplexos com a semelhança da educação que dei para eles, não ficando investindo nos estudos em pessoas que não gostam de estudar, e estimulando o dom comercial que eles possuíam. O mais velho, além da empresa de eventos, acabou de inaugurar uma lanchonete na Rua Figueiredo Magalhães, esquina com Edmundo Lins.